• +351 21 800 89 48
  • secretariado@apah.pt
CAPA RGH 18 | 2019 In noticia

Já está disponível a 3.ª edição 2019 da revista “Gestão Hospitalar”

Já se encontra disponível para consulta online a 3.ª edição da revista “Gestão Hospitalar” (GH) aqui.

Esta “Gestão Hospitalar” é publicada no início de um novo ciclo político. Nos últimos meses a Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares (APAH) reuniu com os vários grupos parlamentares, tendo apresentado propostas concretas para o Serviço Nacional de Saúde, tendo algumas sido incorporadas nos programas eleitorais e no Programa atual de Governo.

Num momento em que vários sinais dão conta da desmotivação dos profissionais, exige-se que o novo Governo crie condições para aumentar a “alegria” do setor. António Dias Alves e colegas falam-nos deste problema e apresentam propostas concretas. Um artigo a não perder para iniciarmos uma discussão sobre o tema.

Aos mais vários níveis, “As pessoas fazem a mudança”. É este o tema do artigo de Rui Cortes a propósito da segurança e qualidade nos cuidados de saúde. No mesmo tema, Mavilde Vitorino e colegas apresentam um estudo sobre os eventos adversos relacionados como medicamento (EArM) em Portugal. Neste estudo baseado nos dados dos doentes internados em hospitais públicos no período de 2013-2015, identificaram que 60 521 (cerca de 2% dos doentes) sofreram pelo menos um EArM, dos quais 28.5% (17 213) ocorreram no contexto intra-hospitalar. De acordo com a reflexão dos autores, facilmente se chega à conclusão da importância dos Administradores Hospitalares em criar uma nova cultura organizacional permitindo-lhe contribuir decisivamente para a criação de ambientes promotores de uma exigente cultura de segurança.

Efetivamente, é através de uma persistente liderança institucional e estabilidade de equipas que se conseguem alcançar resultados. É esta a conclusão de Luís Pedro Tavares e Miguel Paiva com base nos resultados alcançados no combate à infeção hospitalar no Centro Hospitalar Entre Douro e Vouga.

Nesta GH entrevistamos uma campeã do Serviço Nacional de Saúde. Com uma força e alegria contagiantes, a Dra. Adelaide Belo tem abraçado vários projetos ao longo da sua carreira pro ssional nos mais variados níveis do sistema de saúde. Dadas as funções atuais como Presidente da Associação Portuguesa de Integração de Cuidados, a conversa foca-se no papel desta associação no desenvolvimento de uma agenda para a integração de cuidados.

Na linha da integração de cuidados, Patrícia Nascimento do Hospital de Vila Franca de Xira descreve o modelo de prestação de cuidados centrados nas crianças e jovens com diabetes tipo I, envolvendoos vários parceiros na comunidade e as famílias. Um modelo a seguir.

Passados 40 anos da Declaração de Alma-Ata, e da recente Declaração de Astana, Miguel Lemos do ACES Arco Ribeirinho fala da necessidade de refundar os cuidados de saúde primários de forma a garantir um caminho na direção da cobertura universal de saúde. Na linha da integração de cuidados, fará sentido equacionar todo o modelo de prestação de cuidados de saúde.

A Marta Bacelar vem apresentar outra dimensão na prestação de cuidados de saúde: as terapêuticas não convencionais. Num artigo que merecerá certamente futuro contraditório, a autora vem analisar e advogar a integração destas terapêuticas no SNS.

Nesta GH damos conta ainda da substantiva presença da APAH no Congresso da European Association of Hospital Managers, onde foi possível visitar 6 modernos hospitais belgas.

Esta é a vossa GH!