• +351 21 800 89 48
  • secretariado@apah.pt
In noticia

APAH, Ordem dos Médicos e ANEM apresentam resultados do estudo “Fatores de decisão na carreira médica”

A Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares (APAH), a Ordem dos Médicos, e a Associação Nacional de Estudantes de Medicina (ANEM), preocupados com a falta de gestão efetiva dos recursos humanos disponíveis nos cuidados de saúde em Portugal, em particular da classe médica, e a necessidade urgente de encontrar as soluções adequadas, unem esforços e promoveram o estudo “FATORES DE DECISÃO NA CARREIRA MÉDICA“.

A iniciativa teve como objetivo compreender as motivações profissionais dos Médicos, o seu nível de satisfação em relação à sua atual situação e perspetivas futuras, bem com identificar os fatores que mais pesam na tomada de decisões sobre a sua carreira e percurso profissional. Pretendeu-se igualmente: 

  • Avaliar os prós e contras de exercer no sector Público vs. Privado; 
  • Analisar o nível de satisfação dos médicos nas várias vertentes relacionadas com o seu trabalho: ambiente e qualidade de vida no trabalho, compensação financeira, progressão de carreira, apoio em projetos de investigação, etc.;
  • Perceber os fatores que levam à retenção ou saída do SNS; e 
  • Identificar os segmentos mais problemáticos. 

Os resultados do estudo “FATORES DE DECISÃO NA CARREIRA MÉDICA” foram apresentados publicamente no dia 13 de maio de 2022 no decurso da 10.ª Conferência de Valor da APAH.

O estudo, que contou com uma amostra de 2005 indivíduos de ambos os géneros, residentes em Portugal que tenham feito ou estejam a fazer Licenciatura/Mestrado Integrado em Medicina, teve uma margem de erro de 2,16% para um IC de 95%. A informação foi recolhida através de um questionário online, com perguntas fechadas, semi-fechadas e abertas, desenvolvido pela 2Logical e aprovado pela APAH, OM e ANEM. O trabalho de campo decorreu entre os dias 1 e 22 de abril de 2022.

Analisando os diferentes indicadores obtidos (relatório final), destacam-se o nível de insatisfação dos médicos a exercer no Sector Público, onde cerca de 67% dos respondentes indicam estar pouco ou nada satisfeitos. Em contrapartida, no Sector Privado apenas 16% dos respondentes estão nesta situação. Entre os principais motivos que geram esta insatisfação junto de quem exerce no SNS estão a remuneração base, a falta de recursos humanos e de equipamentos e ainda o excesso de doentes. Nos próximos 12 meses, menos de metade dos médicos que exercem unicamente no sector Público, afirmam querer manter a sua situação, contrariamente aos 78% dos trabalhadores que apenas exercem no sector Privado.

Para conhecer todos os resultados do estudo consulte o Relatório Final e a Infografia disponibilizados nesta noticia.